Categoria: Educação

Ensino Secundário Superior: Entenda toda a estrutura do Brasil!

A escolaridade é obrigatória no Brasil para todas as crianças entre seis e catorze anos. Crianças menores de seis anos podem se matricular no ensino primário, desde que tenham seis anos de idade no primeiro semestre.

O período de escolaridade obrigatória, oito anos, é conhecido como Educação Fundamental, ou Educação Elementar. É dividido em dois estágios distintos de quatro anos:

  • Ensino Fundamental I (Escola Primária I) Idades 6 a 10;
  • Educação Fundamental II (Escola Primária II) Idosos 11 a 14.

O currículo básico nas duas etapas da educação fundamental é estabelecido pelo Conselho Nacional de Educação e implementado localmente. Os alunos da primeira etapa da Educação primária recebem o ensino de um único professor, enquanto os do segundo nível têm tantos professores todos os dias como sujeitos.

Abaixo vamos falar sobre o ensino superior brasileiro e junto a ele, existe o Exame Nacional de Ensino Médio – Enem, uma prova realizada por diversos estudantes para ingressar no ensino superior público e privado.

A página do participante Enem é a plataforma que divulga todas as informações sobre o programa, inclusive realiza as inscrições, divulga o edital, e também o mais esperado, que é o resultado.

Ensino Superior

Durante o ensino fundamental I, as crianças recebem instrução de acordo com sua idade, destinadas a melhorar suas habilidades matemáticas, o português (a língua oficial do Brasil), a ciência, as artes, a história, a geografia e a educação física.

Durante a Educação Fundamental II (Escola Primária II), os alunos estudam os mesmos assuntos, embora em um nível mais avançado. Eles também devem estudar pelo menos uma outra língua, que geralmente é espanhol, inglês ou francês.

No entanto, os alunos que demonstram habilidade acadêmica avançada podem ser colocados em um nível superior, onde serão estimulados mais academicamente. No sistema educacional estadual brasileiro, todos os alunos no final de cada ano escolar devem passar por um exame completo para determinar se eles estão indo para o próximo curso, ou se eles terão de repetir o atual. O curso de repetição é comum no Brasil, o que muitas vezes faz com que estudantes da mesma classe sejam de idades muito diferentes.

Dependendo da filosofia educacional de cada escola particular, as crianças podem ser forçadas a repetir o curso, embora a prática não seja tão comum quanto nas escolas públicas.

Se uma criança não pode ser atualizada e progredir em níveis de aprendizado como seus colegas de classe, a escola muitas vezes fala com os pais sobre outras opções no sistema acadêmico, opções que podem ser mais apropriadas às necessidades da criança.

Existem algumas escolas privadas no Brasil, incluindo as administradas pela Igreja Católica, que dividem o ano letivo em níveis de habilidade académica por aulas, de acordo com o modelo de educação pública britânica, por exemplo.

No entanto, esta prática está se tornando menos comum, à medida que mais e mais escolas privadas adotam modelos pedagógicos mais controláveis.

 

Brasileiros fazem prova do MEC no exterior

Se o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) funciona como uma porta de entrada para quem deseja cursar um curso superior, o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) colabora com esse aprimoramento que o aluno busca e precisa em sua educação profissional.

Os dois programas visam melhorias na educação dos brasileiros, mas o que pouca gente sabe é que o Enem pode sim ser uma forma de ingresso em um dos cursos do Pronatec. As regras para ingressar em um dos tantos cursos do programa são simples, e no que diz respeito ao Enem, têm uma relação com as Bolsas-Formação, um benefício oferecido pelo Governo Federal, com vagas gratuitas em muitos cursos técnicos presenciais, que devem durar pelo menos 800 horas.

Para que você possa ter direito a bolsas-formação e ingressar no ensino superior, é preciso já ter concluído o ensino fundamental e médio, caso você não tenha o diploma pode adquiri-lo através da prova do Encceja, que é realizada todos os anos.

Para participar, você precisa realizar a inscrição no exame através do site oficial do mesmo, para isso, basta seguir alguns requisitos e pronto!

Por isso, o Enem tem uma relação direta com a questão das Bolsas-Formação, já que qualquer brasileiro com ensino médio completo pode se inscrever para uma dessas bolsas.

O Sisutec

Antes de mais nada, você precisa saber o que é o Sisutec (Sistema de Seleção da Educação Profissional e Tecnológica). O Sisutec é o sistema que agrega as vagas do Pronatec e que oferece inúmeras vagas em cursos técnicos todos os anos. Sua criação facilitou o acesso aos cursos técnicos e de qualificação profissional do Pronatec. Ele segue os moldes do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), só que para os cursos técnicos gratuitos.

Porém, segundo informações do Pronatec, haverá uma prioridade para alunos que tenham cursado o ensino médio na rede pública ou mesmo que tenham conseguido bolsa integral em qualquer instituição da rede privada. Nesse caso, o Enem será utilizado como critério de classificação para alunos para a 1ª e 2ª chamadas do Sisutec para a Bolsa-Formação. Entretanto, para vagas remanescentes não será obrigatório.